Fale conosco + 55 41 999103955

Nossas mídias

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Instagram

© 2019 by Dr Carlos Sperandio. Proudly created with Wix.com

Buscar
  • Carlos Sperandio

Como deveria ter sido o discurso do Presidente Bolsonaro em 24/03/2020

- E ai Dr Carlos, o Presidente Bolsonaro falou em discurso as ideias que você vem defendendo. O que você achou?


- Achei o conteúdo ótimo, mas a apresentação terrível.


- Ah é? Como você teria feito?


- Pois não:


Caros brasileiros, estamos passando por uma situação única no mundo: a guerra contra o inimigo invisível, o novo coronavírus. Nosso país, preocupado com as notícias que vinha recebendo das outras nações, adiantou-se e proporcionou a abertura de milhares de leitos de UTI, capacitação de profissionais e o isolamento social. Essas medidas vêm dando resultado, pois nossos números são melhores do que as curvas de projeção de comportamento do coronavírus no nosso país. Dr Mandetta está liderando nossas forças de saúde de modo seguro e tem meu apoio incondicional.


Temos, no entanto, além da epidemia do covid-19, uma epidemia muito maior e ainda mais grave - a epidemia do medo. Vários setores de nossa sociedade, imprensa e demais formadores de opinião estão se baseando em condutas específicas implementadas em outras nações, com outro perfil da doença, e com isso tomando decisões que estão reverberando maciçamente no nosso comportamento social. Não os condeno, afinal o pânico torna as decisões difíceis e a falta de conhecimento do caminho torna a jornada assustadora.


Como presidente, preciso liderar nossa nação pelo caminho mais seguro e equilibrado para todos. Deixar o país cair em uma recessão gravíssima reverberará por décadas e custará mais vidas de brasileiros que todas as doenças infecciosas juntas.


Não por isso devemos ser negligentes com o coronavírus. Baseado em estudos que estão sendo publicados diariamente e, em opiniões de diversos especialistas, partiremos para a suspensão a partir de 26 de março do isolamento social de toda a população em nível nacional.


As cidades mais acometidas, que demonstrarem aumento das curvas de casos graves poderão, conforme orientação do Ministério da Saúde, rever as políticas de isolamento.


Reitero - como Presidente - que a maior preocupação desse governo é com os grupos mais suscetíveis ao adoecimento grave - os idosos e os portadores de doenças do coração, pulmão, diabetes e pressão alta. Para eles, o isolamento social continua, mas não só sendo indicada a não saída de casa, mas principalmente o isolamento respiratório quando em contato interpessoal.


O medo se vence com o conhecimento. Todos devem saber que o vírus só passa de pessoa a pessoa e que, ao mantermos nossos comportamentos de etiqueta respiratória e proteção dos mais frágeis, conseguiremos evitar os colapsos da saúde e da economia.

Eu conto com todos, independente da sua ideologia política, para pensarmos juntos no melhor para nossa nação.


Obrigado e sejamos fortes,




581 visualizações1 comentário