Buscar
  • Carlos Sperandio

Afinal, o que consiste o isolamento (lockdown) vertical?

Nesse post, trarei na íntegra o plano de lockdown vertical da Holanda e do estado de Santa Catarina. São dois exemplos do que TODAS as nações e estados irão invariavelmente em algum momento futuro fazer, pois HOJE é impossível ficar trancado em lockdown horizontal até a vacina.


Antes, permitam-me uma parábola.


Estamos todos presos na caverna. Lá fora um bicho invisível tem matado 1 em cada 50 de nós, quando resolvemos sair. Estamos assustados. Resolvemos ficar trancados dentro da caverna. Nossas reservas de comida e água não nos garantem muito tempo e o colapso está próximo. Sabemos que dos 49 que sobrevivem, quando voltam, não podem entrar em contato com o 1 que havia ficado, pois ele morre com os sintomas da doença que o bicho causa. Percebemos, então, que se nós nos lavássemos antes de entrar na caverna ninguém morria. Mas era tarde. Metade dos 49 que não adoecem estão muito assustados para permitir que saiamos de novo da caverna. Então, decidimos ficar aqui, esperando o bicho ir embora. Como que um milagre.




Hoje, a situação na cidade que moro, Curitiba, é a seguinte: estamos com todos os hospitais, públicos e privados, preparados para o pior cenário. Temos 1000 leitos de UTI esperando. Temos respiradores. Temos equipes treinadas. Temos sangue nos olhos. Temos sede pela guerra contra esse bicho invisível. Sabe o que não temos? O inimigo. Estamos com ele espreitando em lugares que ainda não chegaram nas nossas trincheiras. Puxa, mas isso não é excelente, meu prezado Dr Carlos? Sim!!! Com certeza não ter guerra é muito melhor que tê-la. Só que estamos ficando sem reservas de comida e água dentro da caverna. Os defensores teóricos do modelo de isolamento (lockdown) horizontal - todo mundo em casa - o fazem, porque alegam não haver capacidade dos sistemas de saúde em lidar com uma alta demanda de pacientes críticos doentes ao mesmo tempo. Eles não prometem a cura, nem a solução definitiva do problema. Eles estão nos dizendo para ficarmos na caverna esperando o milagre.


Quando pensamos em isolamento (lockdown) vertical, estamos sim combatendo o bicho de uma certa forma, pois há a tal da imunidade adquirida por grande parte da população, diminuindo finalmente a circulação do vírus. Além, é claro, de continuarmos a deixar dentro da caverna os de risco para adoecimento grave. E, imagino, com MUITA orientação de como se faz para que os que voltam à caverna se livrem do bicho antes de conviver com idosos e demais grupos suscetíveis.


Ainda assim estaríamos correndo o risco de termos alguns dos pacientes em risco adoecendo. Isso é previsto nos dois modelos. E, sim, estamos com alguns lugares do continental Brasil mais preparados do que outros. Por isso, a necessidade de individualizar as condutas de lockdown. Curitiba, possivelmente o Paraná, podem seguir o modelo holandês / catarinense. Posso opinar porque é a realidade que estou vendo.


Cabe às autoridades de saúde do país tomarem suas condutas. A mim, cabe trazer o contra-ponto. Lembrem que as reservas estão acabando e o barulho da discussão entre os dois lados da caverna está ensurdecedor.


Plano de lockdown vertical da Holanda (traduzido) Plano de lockdown vertical de Santa Catarina









0 visualização

Fale conosco + 55 41 99979 2120

Nossas mídias

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Instagram

© 2019 by Dr Carlos Sperandio. Proudly created with Wix.com